Comentários para o Evangelho do Dia

A partir de agora o Evangelho do Dia bem como os comentários para o evangelho, serão postados diretos em nosso site, é só clicar no link abaixo e você irá direto para ele: http://www.discipulosdamaededeus.com.br/evangelho/

domingo, 31 de maio de 2009

Evangelho de hoje - João 20,19-23


Ave Maria,

  • 19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”.20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. 22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.
Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,
  • Hoje celebramos o Pentecostes, a vinda do Espírito Santo de Deus. Jesus subiu aos Céus para nos enviar o Paraclito e já chegou. O Espírito Santo veio sobre nós para nos guiar em nossa missão de anunciadores do Reino de Deus. A Igreja começa a se expandir através dos apóstolos, e nós somos também enviados nesta missão de propagadores do Reino de Deus e para que o Reino de Deus venha é necessário que preparemos antes o Reino da Virgem Maria, pois, se da primeira vez Jesus veio até nós por meio dela, isto também ocorrerá da segunda vez. Que cada um de nós peça a Virgem Maria, ela que sempre esteve e está ao lado de seu Filho, que ela nos derrame as graças vindas do Espírito Santo para nos fortalecer nesta missão de evangelizadores. Pois como diz São Luis Maria Grignion de Montfort, o Espírito Santo será derramado sobre nós através da Virgem Maria, uma vez que, tudo o que recebemos de Jesus, o recebemos pelas mãos puras e virginais de sua Mãe. Maria Santíssima rogai por nós.

Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,

Virtude de hoje - Profunda Humildade (PHS)

Ave Maria,
  • Viver esta virtude será maravilhoso não só para nós como também para o outro, pois, os humilhados seram exaltados e quem se humilha é porque sabe amar o próximo independente do que ele é, e tenha ou não feito algo a você. Juntos pratiquemos esta virtude.
Santa Maria.

São Félix de Nicosia


Ave Maria,




  • Félix nasceu em Nicósia, na Itália, em 5 de novembro de 1715, filho de Filipe Amoroso e Carmela Pirro, de origem humilde e analfabeto. Diz o postulador de sua causa de canonização, padre Florio Tessari: "Órfão de pai desde seu nascimento, era proveniente de uma família que conseguia sobreviver com muita dificuldade". Vivia próximo ao convento dos frades capuchinhos. Freqüentava a comunidade dos frades e admirava o seu modo de viver. Sempre que visitava o convento, sentia-se fortemente atraído por aquela vida: alegria na austeridade, liberdade na pobreza, penitência, oração, caridade e espírito missionário. Aos 18 anos de idade, em 1735, bateu à porta do convento, pedindo para ser acolhido como irmão leigo, por ser analfabeto. A resposta foi negativa. Porém insistiu muitas vezes, sem se cansar. Após dez anos de espera, foi acolhido na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos com o nome de irmão Félix de Nicósia. Depois do noviciado e da profissão religiosa, foi destinado a Nicósia, onde permaneceu durante toda a vida, tornando-se, na cidade, uma presença de espiritualidade radicada no meio do povo. Afirma o padre Florio Tessari: "Analfabeto, mas não de Deus e de seu Espírito, Félix entendeu que o segredo da vida não consiste em indicar, com força, a Deus, a nossa vontade, mas em fazer sempre alegremente a vontade dele. Essa simples descoberta lhe permitiu ver sempre, em tudo e apesar de tudo, Deus e seu amor; particularmente onde é mais difícil identificá-lo. Deixando-se somente invadir e preencher-se de Deus, ia imediatamente ao coração das coisas, à raiz da vida, onde tudo se recompõe na sua originária harmonia. Para fazer isso não precisa muita coisa, não precisa tantas palavras. Basta a essencial sabedoria do coração onde habita, fala e age o Espírito". Morreu no dia 31 de maio de 1787. Foi beatificado pelo papa Leão XIII em 12 de fevereiro de 1888 e proclamado santo pelo papa Bento XVI no dia 23 de outubro de 2005.


Santa Maria.

sábado, 30 de maio de 2009

Evangelho de hoje - João 21,20-25

Ave Maria,
  • Naquele tempo, 20Pedro virou-se e viu atrás de si aquele outro discípulo que Jesus amava, o mesmo que se reclinara sobre o peito de Jesus durante a ceia e lhe perguntara: “Senhor, quem é que te vai entregar?” 21Quando Pedro viu aquele discípulo, perguntou a Jesus: “Senhor, o que vai ser deste?”22Jesus respondeu: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa isso? Tu, segue-me!” 23Então, correu entre os discípulos a notícia de que aquele discípulo não morreria. Jesus não disse que ele não morreria, mas apenas: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?”24Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e que as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. 25Jesus fez ainda muitas outras coisas, mas, se fossem escritas todas, penso que não caberiam no mundo os livros que deveriam ser escritos.

Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,
  • Hoje o Evangelho narrado por João é concluído e faz-nos compreender que ele próprio se intitulando de "o discípulo amado", está querendo nos dizer que nós também poderemos ser este "discípulo amado". E para chegarmos a este patamar, devemos fazer como João fez! Ele propagou a palavra de Cristo até os dias de hoje através do Evangelho narrado por ele. Que eu, você, cada um de nós possa anunciar o Evangelho de Deus, assim como fez João. Que cada um também possa se espelhar nas virtudes da Virgem Maria, pois, Ela com seu jeito todo especial nos aponta sempre para o seguimento do seu Filho. Ela não é o caminho, mas ela aponta para esse caminho. Com ela todos nós um dia estaremos no Reino do seu Filho.

Santa Maria.

Virtude de hoje - Pureza Divina (PHS)

Ave Maria,
  • Praticar esta Virtude é ser prudente em suas decisões. A Sabedoria primará sempre pelo lado correto das coisas, porem, sem machucar ninguém, sem pisar ninguém. Praticar esta virtude, não é ser o mais sábio aos olhos do mundo, mas, o que mais ama aos olhos de Deus.
Santa Maria.

Santa Joana d'Arc


Ave Maria,




  • Filha de Jaques d'Arc e Isabel, camponeses muito pobres, Joana nasceu em Domrémy, na região francesa de Lorena, em 6 de janeiro de 1412. Cresceu no meio rural, piedosa, devota e analfabeta, assinava seu nome utilizando uma simples, mas significativa, cruz. Significativa porque já aos treze anos começou a viver experiências místicas. Ouvia as "vozes" do arcanjo Miguel, das santas Catarina de Alexandria e Margarida de Antioquia, avisando que ela teria uma importante missão pela frente e deveria preparar-se para ela. Os pais, no início, não deram importância , depois acharam que estava louca e por fim acreditaram, mas temeram por Joana. A França vivia a Guerra dos Cem Anos com a Inglaterra, governada por Henrique VI. Os franceses estavam enfraquecidos com o rei deposto e os ingleses tentando firmar seus exércitos para tomar de vez o trono. As mensagens que Joana recebia exigiam que ela expulsasse os invasores, reconquistasse a cidade de Orleans e reconduzisse ao trono o rei Carlos VII, para ser coroado na catedral de Reims, novamente como legítimo rei da França. A ordem para ela não parecia impossível, bastava cumpri-la, pois tinha certeza de que Deus estava a seu lado. O problema maior era conseguir falar pessoalmente com o rei deposto. Conseguiu aos dezoito anos de idade. Carlos VII só concordou em seguir seus conselhos quando percebeu que ela realmente tinha por trás de si o sinal de Deus. Isso porque Joana falou com o rei sobre assuntos que na verdade eram segredos militares e de Estado, que ninguém conhecia, a não ser ele. Deu-lhe, então, a chefia de seus exércitos. Joana vestiu armadura de aço, empunhou como única arma uma bandeira com a cruz e os nomes de Jesus e Maria nela bordados, chamando os comandantes à luta pela pátria e por Deus. E o que aconteceu na batalha que teve aquela figura feminina, jovem e mística, que nada entendia de táticas ou estratégias militares, à frente dos soldados, foi inenarrável. Os franceses sitiados reagiram e venceram os invasores ingleses, livrando o país da submissão. Carlos VII foi, então, coroado na catedral de Reims, como era tradição na realeza francesa. A luta pela reconquista demorara cerca de um ano e ela desejava voltar para sua vida simples no campo. Mas o rei exigiu que ela continuasse comandando os exércitos na reconquista de Paris. Ela obedeceu, mas foi ferida e também traída, sendo vendida para os ingleses, que decidiram julgá-la por heresia. Num processo religioso grotesco, completamente ilegal, foi condenada à fogueira como "feiticeira, blasfema e herética". Tinha dezenove anos e morreu murmurando os nomes de Jesus e Maria, em 30 de maio de 1431, diante da comoção popular na praça do Mercado Vermelho, em Rouen. Não fossem os fatos devidamente conhecidos e comprovados, seria difícil crer na existência dessa jovem mártir, que sacrificou sua vida pela libertação de sua pátria e de seu povo. Vinte anos depois, o processo foi revisto pelo papa Calisto III, que constatou a injustiça e a reabilitou. Joana d'Arc foi canonizada em 1920 pelo papa Bento XV, sendo proclamada padroeira da França. O dia de hoje é comemorado na França como data nacional, em memória de santa Joana d'Arc, mártir da pátria e da fé.

Santa Maria.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Maria no Cenáculo (1ª parte)

Ave Maria,

  • Eu gostaria de dirigir um olhar contemplativo para Maria, da forma como ela é descrita nos Atos dos Apóstolos, quando nascia a Igreja. No início deste escrito neotestamentário, que apresenta a vida da primeira comunidade cristã, Lucas, após ter citado os nomes dos Apóstolos, um a um, afirma: "Todos estes, unânimes, perseveravam na oração com algumas mulheres, entre as quais Maria, a Mãe de Jesus, e os irmãos dele." (Isto é, os primos de Jesus.) (At 1, 14) Neste quadro a pessoa de Maria se destaca, como sendo a única que, além dos Apóstolos, é chamada pelo nome: ela representa um rosto da Igreja, diferente e complementar àquele, ministerial ou hierárquico. Efetivamente, a frase de Lucas relata a presença de algumas mulheres no Cenáculo, mostrando, desta forma, a importância da contribuição da mulher na vida da Igreja, desde os seus primórdios. Esta presença está estreitamente ligada à perseverança da comunidade, na oração e na concórdia. E estes traços exprimem, com perfeição, dois aspectos fundamentais da contribuição específica da mulher na vida eclesial. Os homens, em geral, mais voltados para as atividades externas, necessitam da ajuda da mulher para serem reconduzidos às relações pessoais e para progredirem no caminho que leva à união dos corações. Maria assume, de modo eminente, esta missão da mulher. Quem melhor do que Ela nos estimula à persistência na oração? Quem melhor do que ela é capaz de promover a concórdia e o amor?

    João Paulo II Audiência geral do dia 6 de setembro de 1995

Santa Maria.

Evangelho de hoje - João 21,15-19

Ave Maria,

  • Jesus manifestou-se aos seus discípulos 15e, depois de comerem, perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?” Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse: “Apascenta os meus cordeiros”.16E disse de novo a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro disse: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas”. 17Pela terceira vez, perguntou a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava. Respondeu: “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas. 18Em verdade, em verdade te digo: quando eras jovem, tu te cingias e ias para onde querias. Quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá e te levará para onde não queres ir”. 19Jesus disse isso, significando com que morte Pedro iria glorificar a Deus. E acrescentou: “Segue-me”.

Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,
  • O Evangelho de hoje mostra a fidelidade que Pedro tem para com Jesus. Fidelidade essa a qual também devemos ter. Jesus quer apenas o nosso sim a sua missão, Ele não quer mais que isso, apenas o nosso sim. E todo aquele que for fiel a Ele, com certeza Jesus lhe será muito mais fiel.
  • Maria Santíssima é o exemplo de fidelidade ao projeto de Deus a ser seguido, pois, desde o seu sim ao Anjo, até a morte de Jesus na cruz, ela esteve lá fiel, firme, triste por ver o seu Filho morrer daquela forma, porém, com a certeza de que aquilo que estava ocorrendo seria para a salvação de muitos. Que cada um de nós possa seguir o exemplo de Nossa Senhora, ela que foi e é, a mais fiel de todas as criaturas.
Santa Maria.

Virtude de hoje - Doçura Angélica (PHS)

Ave Maria,
  • Ter a doçura angélica é ser doce como a Virgem Maria, é tratar a todos com amor, sem discriminação nenhuma, é ver o outro com os olhos de Nossa Senhora.
Santa Maria.

Santa Úrsula Ledochowska

Ave Maria,

  • Júlia Ledochowska pertencia a uma família especialmente abençoada. A sua irmã mais velha, Maria Teresa, era religiosa, fundou uma congregação e foi inscrita no livro dos santos. O irmão, o padre Vladimiro foi o vigésimo sexto preposto-geral dos jesuítas . Ela nasceu em 17 de abril de 1865 e os pais eram nobres poloneses que residiam na Áustria. Até o final da adolescência viveu nesse país, onde completou os estudos, depois voltou com a família para o solo polonês, estabelecendo-se na Croácia. Aos vinte e um anos, ingressou no Convento das Irmãs Ursulinas de Cracóvia, pronunciando os votos definitivos e tomando o nome de Úrsula em 1899. Ativa educadora, fundou um pensionato feminino para jovens, promovendo entre os estudantes a Associação das Filhas de Maria e foi, também, superiora do seu convento por quatro anos. Foi chamada pelo pároco da igreja de Santa Catarina em Petersburgo, na Rússia, que na época reprimia toda atividade religiosa, inclusive as de cunho assistencial, para dirigir um internato de estudantes polonesas exiladas; nessa função teve de usar roupas civis para sua segurança. Em 1909, fundou, também, uma casa das ursulinas na Finlândia onde inovou com um pensionato e uma escola ao ar livre, para moças doentes, seguindo o estilo inglês, ao mesmo tempo fundando, na mesma Petersburgo, uma casa das Ursulinas. A sua cidadania e origem austríaca a fizeram objeto de perseguição por parte da polícia russa durante a Primeira Guerra Mundial , tanto que em 1914 se refugiou na Suécia, onde fundou, também ali, um pensionato e uma escola. O seu grande senso de apostolado a fez fundar para os católicos suecos o jornal "Solglimstar", editado ainda hoje sob outra direção. Em 1917, foi para a Dinamarca dar assistência aos poloneses perseguidos, onde permaneceu por dois anos, quando, então, regressou para o seu convento na Polônia. Atendendo um antigo anseio interior, em 1920 separou-se da sua congregação para fundar uma nova ordem: as Irmãs Ursulinas do Sagrado Coração Agonizante, com a função de dar assistência aos jovens abandonados e para cuidar dos pobres, velhos e crianças. Na Polônia, devido à cor do hábito, se popularizaram como as "ursulinas cinzas" e na Itália, como as "irmãs polonesas". A ordem foi aprovada em 1930 e se desenvolveu com rapidez. Quando sua fundadora, madre Úrsula, morreu, já existiam trinta e cinco casas e mais de mil irmãs. Ela deixou vários livros, todos escritos em polonês, que foram traduzidos para o italiano e francês. Madre Úrsula Ledochowska faleceu em Roma no dia 29 de maio de 1939, na Casa mãe da Ordem, que conserva as suas relíquias. O papa João Paulo II, em 1983, a beatificou, numa comovente cerimônia em Poznan, quando visitava a Polônia. Vinte anos depois ele mesmo a canonizou, declarando ser seu devoto. O culto em sua homenagem foi designado para o dia de sua morte.
Santa Maria.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Papa em Nazaré destaca que sociedade necessita da família

Ave Maria,
  • Bento XVI mostrou em Nazaré que a sociedade necessita da família para não se desumanizar, explica o responsável da Obra Romana para as Peregrinações, instituição dependente da Santa Sé.
    O padre Caesar Atuire, que acompanha o Santo Padre na Terra Santa, constata em conversa com ZENIT que o penúltimo dia da peregrinação evidencia o antídoto para que a sociedade não se converta em “uma aglomeração de indivíduos” condenados à solidão.
    Na Missa para cerca de 40 mil pessoas que o Papa celebrou no Monte do Precipício, encerrou-se o Ano da Família na Terra Santa.
    Ao sublinhar a importância desta etapa da peregrinação papal, o padre Atuire recorda que “Deus quis entrar na história da humanidade como um ser humano, como cada um de nós, encarnando em um corpo de uma mulher e a partir daí desenvolveu sua vida em um contexto familiar”.
    “O Papa quis ressaltar o tema da família como decisivo hoje, sobretudo quando vivemos em uma sociedade em que a família sofre muitas ameaças”, na qual “se quer equiparar a família com outras realidades que não o são”, disse.

    Retirado do Biblia Catolica News

Santa Maria.

A Oração do Papa a Nossa Senhora de Sheshan

Ave Maria,

  • Na Carta aos Bispos, aos presbíteros, às pessoas consagradas e aos fiéis leigos da Igreja católica na República Popular Chinesa, de 27 de Maio de 2007, o Santo Padre Bento XVI escreve: "Caríssimos Pastores e todos os fiéis, o dia 24 de Maio, que é dedicado à memória litúrgica da Bem-Aventurada Virgem Maria, Auxílio dos cristãos, venerada com tanta devoção no santuário mariano de Sheshan em Xangai, poderá tornar-se, no futuro, ocasião para os católicos de todo o mundo se unirem em oração com a Igreja que está na China. Desejo que tal data seja para vós uma jornada de oração pela Igreja na China. Exorto-vos a celebrá-la, renovando a vossa comunhão de fé em Jesus Nosso Senhor e de fidelidade ao Papa, rezando a fim de que a unidade entre vós seja cada vez mais profunda e visível. (...) Para a próxima Jornada, Sua Santidade compôs a seguinte "Invocação a Nossa Senhora de Sheshan", que poderá ser usada em toda a Igreja: Virgem Santíssima, Mãe do Verbo encarnado e nossa Mãe, venerada com o título de "Auxílio dos cristãos" no Santuário de Sheshan, para o qual, com devoto afeto, toda a Igreja que se encontra na China ergue o seu olhar, vimos hoje, junto a Vós, implorar a vossa proteção. Lançai o vosso olhar sobre o Povo de Deus e guiai-o com solicitude materna pelos caminhos da verdade e do amor, para que, em todas as circunstâncias, seja fermento de harmoniosa convivência entre todos os cidadãos. Com o "sim" dócil pronunciado em Nazaré, Vós consentistes que o Filho eterno de Deus encarnasse em vosso seio virginal e assim desse início, na história, à obra da Redenção, na qual cooperastes, em seguida, com solícita dedicação, aceitando que a espada da dor trespassasse a vossa alma, até à hora suprema da Cruz, quando no Calvário permanecestes de pé junto a vosso Filho, que morria para que o homem vivesse. Desde então tornastes-Vos, de forma nova, Mãe de todos aqueles que acolhem na fé o vosso Filho Jesus e aceitam segui-Lo carregando a própria Cruz sobre os ombros. Mãe da esperança, que na escuridão do Sábado Santo, caminhastes, com inabalável confiança, ao encontro da manhã de Páscoa, concedei aos vossos filhos a capacidade de discernirem em cada situação, mesmo na mais obscura, os sinais da presença amorosa de Deus. Nossa Senhora de Sheshan, sustentai o empenho de quantos na China continuam, no meio das dificuldades diárias, a crer, a esperar, a amar, para que nunca temam falar de Jesus ao mundo e do mundo a Jesus. Na imagem que encima o Santuário, levantais ao alto o vosso Filho, apresentando-O ao mundo com os braços abertos em gesto de amor. Ajudai os católicos a serem sempre testemunhas credíveis deste amor, mantendo-se unidos à rocha de Pedro, sobre a qual está construída a Igreja. Mãe da China e da Ásia, rogai por nós agora e sempre. Amém!

Santa Maria.

Rezar a oração Salve Rainha todos os dias e meditar sobre a morte

Ave Maria,

  • "Pai Santo, meu Pai, eu gostaria muito de me corrigir. Mas as tentações são muito fortes, muito mais fortes do que eu." São Felipe Néri observa este jovem rapaz e suas boas intenções e, delicadamente, o estimula: "Coragem, meu filho. Eu recomendo que observes, apenas, estas duas práticas: rezar todos os dias o Salve Rainha e meditar sobre a morte. Faze um esforço, tentando imaginar teu corpo no seio da terra, em plena decomposição e os olhos que se esvaziam, devorados pelos vermes. E dize para ti mesmo: é para isso que eu corro atrás dos prazeres da carne e perco o Céu?" Fiel à dupla recomendação, o jovem rapaz passou a rezar todos os dias, invocando a Virgem da misericórdia, da vida e da esperança, e meditando sobre a morte. A graça de Deus a ajudá-lo, ele soube lutar até o fim.


    Fonte: 365 dias de esperança com François-Xavier Nguyën Van Thuân. Editions du Jubilé

Santa Maria.

Para a paz entre o Oriente e o Ocidente

Ave Maria,

  • No dia 26 de maio de 1432, em Caravaggio (Itália, Lombardia, Diocese de Cremona), Giovanetta di Pietro Vacchi, que era filha de camponeses, jovem mulher, simples e piedosa, casada com um homem violento, disse "ver a Virgem Maria". "De repente, eu tinha diante de mim uma senhora bela e admirável. Ela era alta, seu rosto, gracioso, e o aspecto venerável. Estava vestida de azul, e sobre a cabeça portava um véu branco" - explicou. A.aparição pediu-lhe que rezasse e disse que viera para suscitar a paz entre os homens do Oriente e do Ocidente. Caravaggio se mantém um célebre local de peregrinação, na Lombardia. O Bispo de Cremona logo aderiu ao fato e mandou erguer um santuário que recebeu a visita do Papa João Paulo II, em 1992.


    Segundo o Dicionário das Aparições de Padre Laurentin Patrick Sbalchiero. Editora Fayard, 2006
Santa Maria.

Evangelho de hoje - João 17,20-26

Ave Maria,
  • Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos ao céu e rezou, dizendo: 20“Pai santo, eu não te rogo somente por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim pela sua palavra; 21para que todos sejam um como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, e para que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste. 22Eu dei-lhes a glória que tu me deste, para que eles sejam um, como nós somos um: 23eu neles e tu em mim, para que assim eles cheguem à unidade perfeita e o mundo reconheça que tu me enviaste e os amaste, como me amaste a mim. 24Pai, aqueles que me deste, quero que estejam comigo onde eu estiver, para que eles contemplem a minha glória, glória que tu me deste porque me amaste antes da fundação do universo. 25Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheci, e estes também conheceram que tu me enviaste. 26Eu lhes fiz conhecer o teu nome, e o tornarei conhecido ainda mais, para que o amor com que me amaste esteja neles, e eu mesmo esteja neles”.
Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,

  • Hoje Jesus continua a sua oração pelos cristãos. Todavia, hoje ele reza não somente pelos cristãos de sua epoca, mas tambem por aqueles que viriam a escultar a sua palavra, e não apenas a escultar, e sim acreditar, por em prática tudo aquilo que Ele nos ensinou. Essa oração Dele está bem direcinada para nós. É uma oração pela unidade dos cristãos, para que sejamos um com Ele e com o seu Pai que é o nosso único Mestre e Senhor. Este exemplo de intercessão de Jesus a Deus por nós, é seguido por sua Mãe junto a Ele por nós. Ela também nos quer unidos pela fé no seu Filho. E não só unidos pela fé Nele, mas também como filhos dela que somos. Mesmo aqueles que a rejeitam, mesmo aqueles que se dizem não serem filhos dela, ela continua sendo e sempre será MÃE de todos. Pois, quem lhe deu essa missão, verdadeiramente é uma missão, foi seu próprio Filho Jesus Cristo. Então, não a querer por Mãe, certamente é não querer a Deus por Pai.

Santa Maria.

Virtude de hoje - Paciência Heróica (PHS)

Ave Maria,

  • Esta virtude bem praticada lhe fará um verdadeiro héroi, não por que você vencerá inimigos externos, mas sim, o inimigo que existe dentro de você, que muitas vezes quer te vencer justamente pela falta de paciência com o outro. Não deixe que isso ocorra, e lute para agir com calma e tranquilidade em todas as situações, e assim, conseguirás vencer mais esta batalha.
Santa Maria.

São Germano de Paris

Ave Maria,

  • Nascer e prosseguir vivendo não foram tarefas fáceis para Germano. Ele veio ao mundo na cidade de Autun, França, no ano 496. Diz a tradição que sua mãe não o desejava, por isso tentou abortá-lo, mas não conseguiu. Quando o menino atingiu a infância, ela atentou novamente contra a vida dele, tentando envenená-lo, mas também foi em vão. Acredita-se que ele pertencia a uma família burguesa e rica, pois, depois disso, foi criado por um primo, bem mais velho, ermitão, chamado Escapilão, que o fez prosseguir os estudos em Avalon. Germano, com certeza, viveu como ermitão durante quinze anos, ao lado desse parente, em Lazy, aprendendo a doutrina de Cristo. Decorrido esse tempo, em 531 ele foi chamado pelo bispo de Autun para trabalhar ao seu lado, sendo ordenado diácono, e três anos depois, sacerdote. Quando o bispo morreu, seu sucessor entregou a direção do mosteiro de São Sinforiano a Germano, que pela decadência ali reinante o supervisionava com certa dificuldade. Acabou deixando o posto por intrigas e pela austeridade que desejava impor às regras da comunidade. Foi, então, para Paris, onde, pelos seus dons, principalmente o do conselho, ganhou a estima do rei Childeberto, que apreciava a sua sensatez. Em 536, o rei o convidou a ocupar o bispado de Paris, e Germano aceitou, exercendo grande influência na corte merovíngia. Nessa época, o rei Childeberto ficou gravemente enfermo, sendo curado com as orações do bispo Germano. Como agradecimento, mandou construir uma grande igreja e, bem próximo, um grande convento, que mais tarde se tornou o famoso Seminário de Paris, centro avançado de estudo eclesiástico e de vida monástica. Germano participou, ainda, de alguns importantes acontecimentos da Igreja da França: do concilio de Tours, em 567, e dos concílios de Paris, inclusive o de 573, e a consagração do bispo Félix de Bourges em 570. Entrementes não eram apenas os nobres que o respeitavam, ele era amado pelo povo pobre da diocese. Germano era pródigo em caridade e esmolas, dedicando ao seu rebanho um amor incondicional. Freqüentemente, era visto apenas com sua túnica, pois o restante das roupas vestira um pobre; ficava feliz por sentir frio, mas tendo a certeza de que o pobre estava aquecido. Quando nada mais lhe restava, permanecia sentado, triste e inquieto, com fisionomia mais grave e conversação mais severa. Assim viveu o bispo Germano de Paris, até morrer no dia 28 de maio de 576. Logo os milagres e graças começaram a acontecer e o seu culto foi autorizado pela Igreja, mantendo a data de sua morte para a celebração. Suas relíquias se encontram na majestosa igreja de São Germano de Paris, uma das mais belas construções da cidade.

Santa Maria.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

A vossa proteção está acima do pensamento

Ave Maria,

  • Quem, senão o vosso Filho se interessa pelo gênero humano, a não ser vós? Quem nos defende sem cessar, de todas as nossas tribulações? Quem nos livra, rapidamente, das tentações que nos assaltam, que se precipitam sobre nós? Quem, com tanta tristeza, se dá ao trabalho de rogar, de suplicar o perdão, em favor dos pecadores? Quem os defende para perdoá-los nos casos de desespero? Em virtude do privilégio e do poder que vossa maternidade obteve, junto a vosso Filho, mesmo que estejamos condenados pelos nossos crimes e que não mais tenhamos coragem de olhar para o Céu, vós nos salvai dos suplícios eternos, com vossas súplicas e vossa intercessão. Aquele que se sente atormentado, igualmente, se refugia em vós. O injustiçado a vós recorre. Aquele que se sente derrubado por tantos males, invoca a vossa assistência. Tudo o que vem de vós é admirável, é maravilhoso, ó Mãe de Deus, e tudo o que vem de vós, é maior do que a natureza e ultrapassa nossa razão e nosso poder. A vossa proteção também está acima do pensamento.

    São Germano Patriarca de Constantinopla
Santa Maria.

Maria faz com que os Apóstolos entrem em contemplação

Ave Maria,
  • Maria guardou em seu coração, tudo o que aconteceu no dia da Ascensão. Instruída pelo exemplo de seu Filho, Ela compreendeu a vontade do Pai em relação a Ela, expondo-se, dócil e plenamente aos divinos desígnios, com o seu FIAT - "Seja feita a sua vontade"; o FIAT da Anunciação e o FIAT da Cruz conduziram Maria ao FIAT da Ascensão. Jesus não mais estava presente diante de seus olhos da carne e era preciso que Ela aceitasse viver este mistério da separação; um desprendimento, um desapego total, mais puro e perfeito do que todos os que Ela havia vivido, até então. Maria jamais hesitou; não hesitou em nenhum momento. Ei-la, mais uma vez comprometida, a partir da morte do Filho, na tarefa de unir os Apóstolos. Aqueles desconcertantes acontecimentos poderiam tê-los dispersado. Contudo, Maria vivia uma vida contemplativa e a vivia, além das aparências. Ela é aquela que crê, que espera e que ama. Ela é aquela que reúne. Ela, somente, poderia dizer aos Apóstolos como deveriam viver a presença viva de Jesus, por meio do aparente afastamento que a Ascensão fazia crer. Ela, somente, poderia levá-los à contemplação e ensiná-los a colocar em prática tudo aquilo que eles viram e ouviram. No silêncio, no recolhimento, Maria entrou em contemplação, fazendo com que os Apóstolos a acompanhassem. Ela mergulhou na contemplação do mistério de Jesus, Filho de Deus e Filho do Homem. E, até o final dos tempos, Maria fará com que a sua Igreja penetre sempre mais, neste mistério. Vamos rezar para que Maria nos introduza, igualmente, na contemplação do mistério do amor, eternamente vivo.

    Marie-Benoîte Angot Ver http://www.mariedenazareth.com/367.0html?L=

Santa Maria.

Evangelho de hoje - João 17,11b-19

Ave Maria,
  • Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos para o céu e rezou, dizendo: 11b“Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um assim como nós somos um. 12Quando eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que me deste. Eu os guardei e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para se cumprir a Escritura. 13Agora, eu vou para junto de ti, e digo estas coisas, estando ainda no mundo, para que eles tenham em si a minha alegria plenamente realizada. 14Eu lhes dei a tua palavra, mas o mundo os rejeitou, porque não são do mundo, como eu não sou do mundo. 15Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno. 16Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. 17Consagra-os na verdade; a tua palavra é verdade. 18Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo. 19Eu me consagro por eles, a fim de que eles também sejam consagrados na verdade”.

Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,
  • Hoje Jesus continua rezando ao Pai para que proteja os discípulos, pois, Ele sabe que a fragilidade humana diante das tribulações do mundo poderá lhes tirar do caminho da verdade. Jesus se entrega ao Pai por cada um de nós. Pois, Ele nos tirou do mundo para no mundo sermos fiéis testemunhas da sua Palavra. Como Jesus mesmo diz, nós não pertencemos a este mundo, mas, do mundo fomos escolhidos para mensageiros do seu Reino. E nós também contamos com uma fiel escudeira, aquela que Ele nos deixou para medianeira, que é a sua própria Mãe, Maria Santíssima. E é através dela que proclamaremos o Reino de seu Filho aqui na terra.
Santa Maria.

Virtude de hoje - Ardente Caridade (PHS)

Ave Maria,
  • Esta virtude deverá lhe colocar na posição do outro, pois, você deverá ver o mundo com os olhos dele, sentir como ele sente, só assim você conseguirá realmente praticar esta virtude, pois, sentindo o que o outro sente, verás o que ele necessita e assim saberás como ajuda-lo.
Santa Maria.

Santo Agostinho da Cantuária


Ave Maria,




  • Um século após são Patrício ter convertido os irlandeses ao catolicismo, a atuação de Agostinho foi tão importante para a Inglaterra que modificou as estruturas da região da mesma forma que seu antecessor o fizera. No final do século VI, o cristianismo já tinha chegado à poderosa ilha havia dois séculos, mas a invasão dos bárbaros saxões da Alemanha atrasou sua propagação e quase destruiu totalmente o que fora implantado. Pouco se sabe a respeito da vida de Agostinho antes de ser enviado à Grã-Bretanha. Ele nasceu em Roma, Itália. Era um monge beneditino do mosteiro de Santo André, fundado pelo papa Gregório Magno naquela cidade. E foi justamente esse célebre papa que ordenou o envio de missionários às ilhas britânicas. Em 597, para lá partiram quarenta monges, todos beneditinos, sob a direção do monge Agostinho. Mas antes ele quis viajar à França, onde se inteirou das dificuldades que a missão poderia encontrar, pedindo informações aos vários bispos que evangelizaram nas ilhas e agora se encontravam naquela região da Europa. Todos desaconselharam a continuidade da missão. Mas, tendo recebido do papa Gregório Magno a informação de que a época era propícia apesar dos perigos, pois o rei de Kent, Etelberto, havia desposado a princesa católica Berta, filha do rei de Paris, ele resolveu, corajosamente, enfrentar os riscos. A chegada foi triunfante. Assim que desembarcaram, os monges seguiram em procissão ao castelo do rei, tendo a cruz à sua frente e entoando pausadamente cânticos sagrados. Agostinho, com a ajuda de um intérprete, colocou ao rei as verdades cristãs e pediu permissão para pregá-las em seus domínios. Impressionado com a coragem e a sinceridade do religioso, o rei, apesar de todas as expectativas em contrário, deu a permissão imediatamente. No Natal de 597, mais de dez mil pessoas já tinham recebido o batismo. Entre elas, toda a nobreza da corte, precedida pelo próprio rei Etelberto. Com esse resultado surpreendente, Agostinho foi nomeado arcebispo da Cantuária, primeira diocese fundada por ele. A notícia chegou ao papa Gregório Magno, que, com alegria, enviou mais missionários à Inglaterra. Assim, Agostinho prosseguiu e ampliou o trabalho de evangelização, fundando as dioceses de Londres e de Rochester. Não conseguiu a conversão de toda a ilha porque a Inglaterra era dividida entre vários reinos rivais, mas as sementes que plantou se desenvolveram no decorrer dos séculos. Agostinho morreu no dia 25 de maio de 604, sendo sepultado na igreja da Cantuária, que hoje recebe o seu nome e ainda guarda suas relíquias. O Martirológio Romano indica a festa litúrgica de santo Agostinho da Cantuária no dia 27 de maio.


Santa Maria.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Evangelho de hoje - João 17,1-11a

Ave Maria,
  • Naquele tempo, 1Jesus ergueu os olhos ao céu e disse: “Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique a ti, 2e, porque lhe deste poder sobre todo homem, ele dê a vida eterna a todos aqueles que lhe confiaste.3Ora, a vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e àquele que tu enviaste, Jesus Cristo. 4Eu te glorifiquei na terra e levei a termo a obra que me deste para fazer. 5E agora, Pai, glorifica-me junto de ti, com a glória que eu tinha junto de ti antes que o mundo existisse.6Manifestei o teu nome aos homens que tu me deste do meio do mundo. Eram teus, e tu os confiaste a mim, e eles guardaram a tua palavra. 7Agora eles sabem que tudo quanto me deste vem de ti, 8pois dei-lhes as palavras que tu me deste, e eles as acolheram, e reconheceram verdadeiramente que eu saí de ti e acreditaram que tu me enviaste.9Eu te rogo por eles. Não te rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. 10Tudo o que é meu é teu e tudo o que é teu é meu. E eu sou glorificado neles. 11aJá não estou no mundo, mas eles permanecem no mundo, enquanto eu vou para junto de ti”.
Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,

  • Hoje Jesus ora ao Pai em favor dos discípulos. Ele é o nosso caminho para Deus, o nosso elo de ligação entre nós e o Pai Celeste. Em outras palavras, Jesus está pedindo ao Pai Eterno que não se esqueça daqueles que realmente acreditaram e aceitaram tudo o que Ele falou e todos os seus ensinamentos, pois, Jesus estava indo para junto do Pai, mas, Ele sabia que seus discípulos sem a presença Dele, teriam grandes dificuldades para anunciar o Evangelho. Portanto, Jesus pede a Deus para os fortalecer nesta missão e jamais se esquecer de nós. Pergunto a você que está lendo esta mensagem de hoje: onde fica o papel de Nossa Senhora neste Evangelho? Está muito claro, vejamos, se Jesus ora ao Pai por nós, logicamente Nossa Senhora ora a Jesus por nós! Este é o papel maior de Nossa Senhora, interceder, rezar, nos apontar o caminho que é Jesus, nos facilitar esse contato, nos levar em seus braços para junto de Jesus. E saiba você, que ela te levando para seu Filho, é o mesmo que está te levando para Deus, acredite, tenha fé, Maria Santíssima não quer nada para si, apenas nos levar para junto de Deus.

Santa Maria.

Virtude de hoje - Pureza Divina (PHS)

Ave Maria,

  • Viver esta virtude é viver como uma criança, a qual não tem nenhuma maldade em seu coraçãozinho, pois, por mais que ela faça algo que aos nossos olhos não é correto, no fundo ela só está querendo dizer que nos ama e que precisa de um pouco da nossa atenção. Sejamos como elas puros e homildes de coração.
Santa Maria.

Santa Maria Ana de Jesus Paredes


Ave Maria,




  • Maria Ana nasceu no dia 31 de outubro de 1618, em Quito, capital do Equador. Sua família era rica: o pai, Jerônimo Paredes e Flores, era um capitão espanhol e a mãe, Mariana Jaramillo, pertencia à nobreza. A pequena ficou órfã dos pais aos quatro anos de idade e quem assumiu sua educação foi a mais velha de suas sete irmãs, Jerônima, casada com o capitão Cosme de Miranda, os quais educaram a menina como própria filha. Ela logo começou a despertar para a religião, tornando-se devota fervorosa de Jesus e da Virgem Maria. Muito inteligente e prendada, gostava das aulas de canto, onde aprendia as músicas religiosas, depois entoadas durante as orações. Orientada espiritualmente pelo jesuíta João Camacho, aos oito anos recebeu a primeira comunhão e quis fazer voto de virgindade perpétua, sendo de pronto atendida. E em sua casa, sem ingressar em nenhuma Ordem religiosa, intuída pelo Espírito Santo, se consagrou somente às orações e a penitência, até os limites alcançados apenas pelos adultos mais santificados. Em 1639, ingressou na Ordem Terceira Franciscana e tomou o nome de Mariana de Jesus. Ela fora agraciada por Deus com o dom do conselho e da profecia, sabendo como ninguém interpretar a alma humana. A sua palavra promovia a paz entre as pessoas em discórdia e contribuía para que muitas almas retornassem para o caminho do seguimento de Cristo. Em conseqüência das severas penitências que se impunha, Marianita, era assim chamada por todos, tinha um físico delicado e a saúde muito frágil, sempre sujeita a doenças. Em uma dessas enfermidades, teve de ser submetida a uma sangria, e a enfermeira que a atendia deixou em uma vasilha o sangue que tinha extraído de Marianita para ir buscar as ataduras que faltavam. Ao retornar, viu que na vasilha que continha seu sangue brotara um lírio. A notícia se espalhou e passou a ser conhecida como "o Lírio de Quito". Como Marianita profetizara, em 1645 a cidade de Quito foi devastada por um grande terremoto, que causou muitas mortes e espalhou muitas epidemias. Os cristãos todos foram convocados pelos padres jesuítas a rezarem pedindo a Deus e à Virgem Maria socorro para o povo equatoriano. Nessa ocasião Marianita, durante a celebração da santa missa, anunciou que oferecera sua vida a Deus para que os terremotos cessassem. O que de fato ocorreu naquela mesma manhã. Logo em seguida ela morreu, no dia 26 de maio de 1645. Desde então nunca mais ocorreram terremotos nessas proporções no Equador. Os milagres por sua intercessão se multiplicaram de tal maneira que ela foi beatificada pelo papa Pio IX em 1853. Santa Mariana de Jesus Paredes, o Lírio de Quito, foi decretada "Heroína da Pátria" em 1946 pelo Congresso do Equador. Festejada no dia 26 de maio, foi canonizada pelo papa Pio XII em 1950, tornando-se a primeira flor franciscana desabrochada para a santidade na América Latina.


Santa Maria.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

A Igreja "olhava" Jesus através de Maria

Ave Maria,
  • Harmonicamente congraçada aos Apóstolos, Maria "perseverava na oração" na qualidade de "Mãe de Jesus" (cf. At 1, 13-14), quer dizer, Mãe do Cristo crucificado e ressuscitado. E o primeiro núcleo composto por aqueles que olhavam Jesus, autor da salvação, com a fé, tinha o perfeito conhecimento de que Jesus era Filho de Maria, que Ela era a sua Mãe e que, como tal, desde o momento da virginal concepção e do nascimento, fora a única testemunha do mistério de Jesus, mistério que se lhes tinha sido revelado e confirmado diante de seus olhos, pela Cruz e pela Ressurreição. Desde o primeiro momento, a Igreja, então, "olhava" Maria através de Jesus, assim como "olhava" Jesus através de Maria.

    João Paulo II Redemptoris Mater, 25 de março de 1987, nº 26
Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Jesus é o nosso rochedo, o nosso refúgio seguro... Não temos o que temer quando estamos ao Seu lado, ou quando fazemos todas as coisas para agradá-lO. Muitas vezes em nossa vida, nos desesperamos, não confiamos, e achamos que será o nosso fim... Que não tem mais volta... Tudo dá errado, e vai por água abaixo todos os nossos projetos e sonhos, nossa perspectiva de futuro, tudo aquilo que idealizamos. Tudo isso, meus amados irmãos, só acontece quando não construímos a nossa "casa" sobre um terreno firme, uma rocha inabalável, quando não alicerçamos a nossa fé naquilo que é de fato, verdadeiro! A nossa fé, deve ser a fé da Virgem Maria, por isso devemos buscar imitá-lA em todas as Suas virtudes, em busca de uma maior perfeição, da verdadeira santidade. Quando lutamos em ter a Fé Viva de Nossa Senhora, agimos que nem Ela, e fazermos tudo com o olhar fixo em Jesus... Seguimos essa Digníssima Mãe, com pés firmes no Caminho de Jesus, e com o olhar para a nossa morada eterna, fixo no Céu! Para termos plena confiança em Deus, precisamos estar com a Virgem Maria, aquela que acreditou e foi até o fim, sem nunca murmurar, sem nunca desconfiar, sem nunca se desesperar quando viu o Seu menino pregado numa Cruz... Peçamos meus irmãos, a graça de termos no dia de hoje, não só uma mortificação universal, virtude tão ilustre e santificante, mas também a fé viva da nossa Mãezinha, para que jamais recuemos diante do grande projeto de Deus para nossas vidas: a Vida Eterna! Amém!

Maria Cristina, Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus.

Evangelho de hoje - João 16,29-33

Ave Maria,
  • Naquele tempo, 29os discípulos disseram a Jesus: “Eis, agora falas claramente e não usas mais figuras. 30Agora sabemos que conheces tudo e que não precisas que alguém te interrogue. Por isto cremos que vieste da parte de Deus”. 31Jesus respondeu: “Credes agora? 32Eis que vem a hora — e já chegou — em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis só. Mas eu não estou só; o Pai está comigo. 33Disse-vos estas coisas para que tenhais paz em mim. No mundo, tereis tribulações. Mas tende coragem! Eu venci o mundo!”
Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,
  • Hoje Jesus nos diz que no mundo jamais teremos paz, pois, a paz do mundo é passageira e falsa, porém, não tenhamos medo de viver neste mundo de tribulações, Ele mesmo nos diz "coragem eu venci o mundo. Ele nos fala isso apenas para nos fazer entender que só em Deus teremos a verdadeira paz. Você quer ter paz realmente? Então busque a Jesus! Busque-o através da sua Mãe e com certeza te encontrarás com Ele mais facilmente. Ele sim, é a Paz que precisamos, a Paz Eterna!

Santa Maria.

Virtude de hoje - Mortificação Universal (PHS)

Ave Maria,
  • A prática desta virtude é uma luta espiritual constante, pois, você jamais deverá fazer a sua vontade, por mais que algo esteja acontecendo e não seja do seu agrado, assim, você deverá entregar aquele momento nas mãos da Virgem Maria, para que Ela te de a força necessária para conseguir suportar as adversidades com alegria, seja ela qual for.
Santa Maria.

Santa Maria Madalena de Pazzi

Ave Maria,
  • Batizada com o nome de Catarina, ela nasceu no dia 2 de abril de 1566, crescendo bela e inteligente em sua cidade natal, Florença, no norte da Itália. Tinha a origem nobre da família Pazzi, com acesso tanto à luxúria quanto às bibliotecas e benfeitorias da corte dos Médici, que governavam o ducado de Toscana. Sua sensibilidade foi atraída pelo aprendizado intelectual e espiritual, abrindo mão dos prazeres terrenos, o luxo e as vaidades que a nobreza proporcionava. Recebeu a primeira comunhão aos dez anos e, contrariando o desejo dos pais, aos dezesseis anos entregou-se à vida religiosa, ingressando no convento das carmelitas descalças. Ali, por causa de uma grave doença, teve de fazer os votos antes das outras noviças, vestiu o hábito e tomou o nome de Maria Madalena. A partir daí, foi favorecida por dons especiais do Espírito Santo, vivendo sucessivas experiências místicas impressionantes, onde eram comuns os êxtases durante a penitência, oração e contemplação, originando extraordinárias visões proféticas. Para que essas revelações não se perdessem, seu superior ordenou que três irmãs anotassem fielmente as palavras que dizia nessas ocasiões. Um volumoso livro foi escrito com essas mensagens, que depois foi publicado com o nome de "Contemplações", um verdadeiro tratado de teologia mística. Também ela, de próprio punho, escreveu muitas cartas dirigidas a papas e príncipes contendo ensinamentos e orientações para a inteira renovação da comunidade eclesiástica. Durante cinco anos foi provada na fé, experimentando a escuridão e a aridez espiritual. Até que, no dia de Pentecostes do ano 1690, a luz do êxtase voltou para a provação final: a da dor física. Seu corpo ficou coberto de úlceras que provocavam dores terríveis. A tudo suportou sem uma queixa sequer, entregando-se exclusivamente ao amor à Paixão de Jesus. Morreu com apenas quarenta e um anos, em 25 de maio de 1607, no convento Santa Maria dos Anjos, que hoje leva o seu nome, em Florença. Apenas dois anos mais tarde foi canonizada pelo papa Clemente IX. O corpo incorrupto de santa Maria Madalena de Pazzi repousa na igreja do convento onde faleceu. Sua festa é celebrada no dia de seu trânsito.

Santa Maria.

domingo, 24 de maio de 2009

U´a mão atirou, uma outra conduziu a bala (1ª Parte)

Ave Maria,

  • No dia 13 de maio, o Santo Padre, após almoçar com o Professor Lejeune, sua esposa e outro convidado, dirigiu-se para a Praça São Pedro, onde aconteceria a costumeira audiência geral, tudo na maior tranqüilidade. No momento em que dava a volta à praça e se aproximava da porta de bronze, o turco Mehmet Ali Agça atirou nele, ferindo-o no ventre, no cotovelo direito e no indicador, da mão esquerda. Uma bala atingiu-lhe o indicador, antes de atravessar o abdômen. Eu estava sentado, como de costume, atrás do Santo Padre, e a bala, apesar de sua força, caiu entre nós, no carro, aos meus pés. A outra, golpeou-lhe o cotovelo direito, abrasando-lhe a pele, quase ferindo outras pessoas. O que se passou pela minha cabeça? Ninguém acreditava que tal coisa pudesse ser possível. Transtornado, não consegui entender nada, naquele momento. Eram 17:17h. O ruído havia sido ensurdecedor. Todos os pombos levantaram voo. Alguém havia atirado. Mas quem? Então, notei que o Santo Padre estava ferido. Ele balanceava, mas não dava para ver, nem sangue nem ferimento algum. Apavorado, perguntei-lhe: "Onde foi?" Ele me respondeu: "No ventre." Eu ainda lhe perguntei: "Está doendo?" Ele respondeu: "Sim." Estávamos no carro. O Santo Padre estava meio sentado, debruçado sobre mim, e, assim, alcançamos a ambulância. Ele não olhava para nós. Tinha os olhos fechados, sofria muito e rezava breves orações. Se bem me lembro, a que mais repetia era: "Maria, minha Mãe! Maria, minha Mãe!" Estavam conosco, na assistência, o Dr. Buzzonetti e um enfermeiro, irmão Camille. A ambulância corria, muito, sem nenhum acompanhamento policial. Poucos minutos depois, algumas centenas de metros percorridos, a sirena deixou de funcionar. O trajeto, que normalmente leva quase meia hora, durou oito minutos; isto, na hora do rush, em pleno trânsito romano! Mais tarde, o Santo Padre disse que ficara consciente até a chegada ao hospital, e que, somente chegando lá, perdera a consciência. Disse-me, também, que tinha a certeza de que seus ferimentos não eram mortais.

    Segundo testemunho de Monsenhor Stanislas Dziwisz, relatado por André Frossard no livro N'ayez pas peur. Dialogue avec Jean-Paul II (Não tenha medo. Diálogo com João Paulo II) (Robert Laffont, Paris, 1982) - p.333 a 345

Santa Maria.

U´a mão atirou, uma outra conduziu a bala (2ª Parte)

Ave Maria,

  • Duzentos poloneses haviam trazido da Polônia, uma imagem de Nossa Senhora de Czestochowa. Diante da poltrona vazia do Papa, colocaram-na no chão, e rezavam por ele com muito fervor. A cirurgia durou cinco horas e vinte minutos. O estado de saúde do ferido era considerado gravíssimo. A pressão estava extremamente baixa. Monsenhor Dziwisz havia dado a Extrema-unção ao Papa: "Mas, durante a operação, gradativamente, a esperança ia surgindo. No início, uma grande angústia inundava os pensamentos. Depois, ficou constatado que nenhum órgão vital fora comprometido e que existia chance de sobrevivência." Sua Santidade havia perdido três quartos do seu sangue, e a transfusão sanguínea transmitir-lhe-ia um vírus. João Paulo II permaneceu longo tempo em reanimação, mas cinco dias depois, repetia por sua conta, um provérbio polonês: "A primeira mão atirou, uma outra desviou a bala." Ele havia solicitado ao Bispo de Fátima, que se achava em Roma, que viesse encontrá-lo no leito hospitalar, para contar-lhe sobre a mensagem de Nossa Senhora e, a partir do Ângelus do dia seguinte, em mensagem gravada no quarto da casa de saúde, João Paulo II confiou a humanidade ao Imaculado Coração de Maria. Um ano mais tarde, no dia 13 de maio de 1982, ele retornaria a Fátima e uma das balas que o atingiram foi engastada na coroa da estátua da Virgem Santa. Já no dia 25 de março de 1984, em união com todos os Bispos do mundo, João Paulo II realizaria, enfim, a pedido da Santa Mãe de Deus, a consagração do mundo ao seu Imaculado Coração. Logo depois, a Rússia se liberou do Comunismo sem que houvesse qualquer derramamento de sangue. No dia 13 de maio do ano 2000, em Fátima, quando da beatificação dos dois pastorinhos, os irmãos Jacinta e Francisco, Sua Santidade revelou o conteúdo da última parte da mensagem de Fátima, que falava dos sofrimentos da Igreja e do "bispo vestido de branco", atingido por "golpes de arma de fogo", indicando que ele via nesta frase, uma revelação do atentado que sofrera, em 13 de maio de 1981. E foi, ainda, diante desta mesma estátua de Fátima, no dia 8 de outubro do ano 2000, momento em que se comemorava o Jubileu dos Bispos, que o Papa pronunciou, finalmente, na praça de São Pedro, o Ato solene de fidúcia pelo qual ele confiava o III milênio à proteção da Virgem Maria.

    Segundo testemunho de Monsenhor Stanislas Dziwisz, relatado por André Frossard no livro N'ayez pas peur. Dialogue avec Jean-Paul II (Não tenha medo. Diálogo com João Paulo II) (Robert Laffont, Paris, 1982, pp.333 a 345)

Santa Maria.

Hoje é dia de Nossa Senhora Auxiliadora - Conheça a história desta Santa Devoção


Ave Maria,




  • Esta invocação mariana encontra suas raízes no ano 1571, quando Selim I, imperador dos turcos, após conquistar várias ilhas do Mediterrâneo, lança seu olhar de cobiça sobre toda a Europa. O Papa Pio V, diante da inércia das nações cristãs, resolveu organizar uma poderosa esquadra para salvar os cristãos da escravidão muçulmana. Para tanto, invocou o auxílio da Virgem Maria para este combate católico.A vitória aconteceu no dia 7 de outubro de 1571. Afastada a perseguição maometana, o Santo Padre demonstrou sua gratidão à Virgem acrescentando nas ladainhas loretanas a invocação: Auxiliadora dos Cristãos. No entanto, a festa de Nossa Senhora Auxiliadora só foi instituída em 1816, pelo Papa Pio VII, a fim de perpetuar mais um fato que atesta a intercessão da Santa Mãe de Deus: Napoleão I, empenhado em dominar os estados pontifícios, foi excomungado pelo Sumo Pontífice. Em resposta, o imperador francês seqüestrou o Vigário de Cristo, levando-o para a França. Movido por ardente fé na vitória, o Papa recorreu à intercessão de Maria Santíssima, prometendo coroar solenemente a imagem de Nossa Senhora de Savona logo que fosse liberto.O Santo Padre ficou cativo por cinco anos, sofrendo toda espécie de humilhações. Uma vez fracassado, Napoleão cedeu à opinião pública e libertou o Papa, que voltou a Savona para cumprir sua promessa. No dia 24 de maio de 1814, Pio VII entrou solenemente em Roma, recuperando seu poder pastoral. Os bens eclesiásticos foram restituídos. Napoleão viu-se obrigado a assinar a abdicação no mesmo palácio onde aprisionara o velho pontífice.Para marcar seu agradecimento à Santa Mãe de Deus, o Papa Pio VII criou a festa de Nossa Senhora Auxiliadora, fixando-a no dia de sua entrada triunfal em Roma.O grande apóstolo da juventude, Dom Bosco, adotou esta invocação para sua Congregação Salesiana porque ele viveu numa época de luta entre o poder civil e o eclesiástico. A fundação de sua família religiosa, que difunde pelo mundo o amor a Nossa Senhora Auxiliadora, deu-se sob o ministério do Conde Cavour, no auge dos ódios políticos e religiosos que culminaram na queda de Roma e destruição do poder temporal da Igreja. Nossa Senhora foi colocada à frente da obra educacional de Dom Bosco para defendê-la em todas as dificuldades. No ano de 1862, as aparições de Maria Auxiliadora na cidade de Spoleto marcam um despertar mariano na piedade popular italiana. Nesse mesmo ano, São João Bosco iniciou a construção, em Turim, de um santuário, que foi dedicado a Nossa Senhora, Auxílio dos Cristãos.A partir dessa data, Dom Bosco, que desde pequeno aprendeu com sua mãe Margarida, a confiar inteiramente em Nossa Senhora, ao falar da Mãe de Deus, lhe unirá sempre o título Auxiliadora dos Cristãos. Para perpetuar o seu amor e a sua gratidão para com Nossa Senhora e para que ficasse conhecido por todos e para sempre que foi "Ela (Maria) quem tudo fez", quis Dom Bosco que as Filhas de Maria Auxiliadora, congregação por ele fundada juntamente com Santa Maria Domingas Mazzarello, fossem um monumento vivo dessa sua gratidão.Dom Bosco ensinou aos membros da família Salesiana a amarem Nossa Senhora, invocando-a com o título de AUXILIADORA. Pode-se afirmar que a invocação de Maria como título de Auxiliadora teve um impulso enorme com Dom Bosco. Ficou tão conhecido o amor do Santo pela Virgem Auxiliadora a ponto de Ela ser conhecida também como a "Virgem de Dom Bosco".Escreveu Dom Bosco: "A festa de Maria Auxiliadora deve ser o prelúdio da festa eterna que deveremos celebrar todos juntos um dia no Paraíso".


Santa Maria.

Evangelho de hoje - Marcos 16,15-20

Ave Maria,
  • Naquele tempo, Jesus se manifestou aos onze discípulos, 15e disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! 16Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. 17Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; 18se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados”. 19Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesus foi levado ao céu, e sentou-se à direita de Deus. 20Os discípulos então saíram e pregaram por toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra por meio dos sinais que a acompanhavam.
Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,

  • A Boa Nova de hoje é muito clara "ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura!" Jesus não está nos pedindo para lhe fazer um favor, Ele está sim, nos dando uma ordem, a qual devemos obedecer. Sim, temos que obedecer, pois, anunciar o Evangelho é nossa obrigação de cristão. Vamos sair do nosso comodismo e começarmos a proclamar a Boa Nova de Jesus. Ele hoje foi assunto ao Céu, "amanhã" será a vez da sua Mãe. Da mesma forma como Jesus foi elevado ao Céu, sua Mãe também foi, e isso nos faz entender que temos não só um Pai no Céu, mas também uma Mãe, a qual está do seu lado pronta para interceder por nós. Podemos inclusive imaginar nossas orações chegando ao seu coração e Ela com seu jeitinho especial de Mãe que é, pedindo a Ele: "Meu querido Filho, Tu bem sabes que esses pedidos são dos teus eleitos. Eles muitas vezes não sabem o que pedir, porém, eu Te peço ajudai-os, pois, Eles precisam muito de Ti." E o Senhor o que fará? Não lhe resistirá e com toda certeza através desta tão boa Mãe nos atenderá, não tenhamos a menor dúvida.

Santa Maria.

Virtude de hoje - Contínua Oração (PHS)

Ave Maria,
  • Praticar esta virtude é rezar quando não se tem vontade, é deixar que o corpo fale por você. A continua oração é estar de prontidão como um exercito em ordem de batalha, pois, como diz São Paulo na carta aos Efésios, "não é contra homens de carne e sangue que temos que lutar, mas contra os principados e potestades". Quem pratica esta virtude não vive apenas de joelho rezando, faz mais do que isto, vive a oração maior com a sua própria vida, a oração que Jesus nos deixou. Pai nosso que estais nos céus...
Santa Maria.

São Vicente de Lérins


Ave Maria,


  • As notícias que temos sobre o religioso Vicente são poucas. Ele viveu no mosteiro de Lérins, onde foi ordenado sacerdote no século V. Os dados sobre sua vida antes desse período também não são muitos. Tudo indica que ele era um soldado do exército romano e que sua origem seria o norte da França, hoje território da Bélgica. Alguns registros encontrados em Lérins, escritos por ele mesmo, induzem a crer que seu irmão seria o bispo de Troyes. E ele decidira abandonar a vida desregrada e combativa do exército para "espantar a banalidade e a soberba de sua vida e para dedicar-se somente a Deus na humildade cristã". Vicente, então, optou pela vida monástica e nela despontou como teólogo e escritor famoso, grande reformador do mosteiro de Lérins. Ingressou nesse mosteiro, fundado por santo Honorato, na ilha francesa localizada defronte a Cannes, já em idade avançada. Ali se ordenou sacerdote e foi eleito abade, pela retidão de caráter e austeridade de vida religiosa. Transformou o local num florescente centro de cultura e de espiritualidade, verdadeiro celeiro de bispos e santos para a Igreja. Em 434, escreveu sua obra mais famosa, o "Comnitorium", também conhecido como "manual de advertência aos hereges". Mais tarde, são Roberto Belarmino definiu essa obra como "um livro de ouro", porque estabelece alguns critérios básicos para viver integralmente a mensagem evangélica. Profundo conhecedor das Sagradas Escrituras e dotado de uma grande cultura humanística, os seus escritos são notáveis pelo vigor e estilo apurado, e pela clareza e precisão de pensamento. As obras possuem grande relevância contra a doutrina herética, e outros textos cristológicos e trinitários. Sua obra, em especial a "Advertência aos hereges" teve uma grande difusão e repercussão, atingindo os nossos dias. Enaltecido pelos católicos e protestantes, porque traz toda a doutrina dos Padres analisadas nas fontes da fé cristã e todos os critérios da doutrina ortodoxa, Vicente era um grande polemista, respeitado até mesmo por são Jerônimo, futuro doutor da Igreja, seu contemporâneo. Os dois travaram grandes debates através de uma rica corresponderia, trazendo luz sobre muitas divergências doutrinais. Vicente de Lérins teve seu reconhecimento exaltado pelo próprio antagonista, que fez questão de incluí-lo num capítulo da sua famosa obra "Homens ilustres". Morreu no mosteiro no ano 450. A Igreja católica dedica o dia 24 de maio a são Vicente de Lérins, celebrado na mesma data também no Oriente.

Santa Maria.

sábado, 23 de maio de 2009

As pombinhas de Fátima

Ave Maria,

  • Em 1946, quando a estátua de Nossa Senhora de Fátima estava sendo levada em procissão, de Bombarral a Lisboa, dois amigos se encontraram em meio à multidão delirante que ovacionava a Madona, como príncipe algum jamais fora celebrado. Carlos, jovem fiel, feliz, sempre em cantos, jubilava como todos os outros, mas seu amigo, Fernando, ao contrário, tinha nos lábios, um sorriso debochado: "E pensar que tal coisa acontece, ainda, em pleno século XX! Que Maria seja venerada, tudo bem... Mas aqui, neste caso, trata-se apenas de uma estátua; isto beira a idolatria! É realmente um exagero, fala a verdade!" Eles olharam para o céu, onde três pombinhas giravam no ar. Por fim, elas desceram e passaram a girar em torno da estátua, colocando-se, uma depois da outra, sobre a base da imagem, aos pés da Madona. Neste momento, gritos de euforia ecoaram de todos os lados, aplausos e salvas de morteiros: apesar disto, os pássaros não se assustaram. Em seguida, uma chuva de flores começou a cair e as pombinhas continuaram, tranquilas, sobre o soclo, contentando-se em inclinar a cabeça e ouvir o rumor da chuva de flores sobre suas asas. Arrulhando, docemente, elas se achegaram à estátua, e permaneceram, horas e horas, dias e dias, acocoradas e imóveis, recebendo alimentos da multidão enternecida, sem deixar o pouso escolhido. Na Catedral de Lisboa, as pombinhas não abandonaram seu lugar: elas permaneciam junto à imagem. No dia 6 de dezembro de 1946, durante a Missa solene, uma pomba se colocou sobre a coroa da Madona, simbolizando o Espírito Santo. Durante a Santa Comunhão, distribuída a quatro mil fiéis, ela se voltou para o altar, abrindo suas asas, e permaneceu nesta atitude de adoração até o final. A multidão a observava, impressionada, cheia de admiração. Fernando lá estava, com uma menininha nos braços, para que melhor pudesse observar Nossa Senhora. A criança se encantou pela Virgem, e enviou-lhe inocentes beijinhos.

    Maria Siegt, n° 5, 1976 Florilégio Mariano, 1978, de Frei Albert Pfleger, marista

Santa Maria.

Evangelho de hoje - João 16,23b-28

Ave Maria,
  • Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 23b“Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, ele vo-la dará. 24Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis; para que a vossa alegria seja completa. 25Disse-vos estas coisas em linguagem figurativa. Vem a hora em que não vos falarei mais em figuras, mas claramente vos falarei do Pai. 26Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que vou pedir ao Pai por vós, 27pois o próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que eu vim da parte de Deus. 28Eu saí do Pai e vim ao mundo; e novamente parto do mundo e vou para o Pai”.
Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,

Virtude de hoje - Obediência Cega

Ave Maria,
  • Viver esta virtude é aceitar o que o outro quer mesmo que você tenha certeza que esta não será a melhor opção para todos, é não discutir quando todos querem uma coisa e você outra, e mesmo assim você abre mão da sua vontade por causa do outro. É aceitar aquilo que você desconhece mas acredita que será o melhor para todos. Sejamos como Maria Santíssima e vamos obedecer mesmo sem saber o que realmente teremos pela frente.
Santa Maria.

São João Batista de Rossi

Ave Maria,
  • João Batista de Rossi nasceu no dia 22 de fevereiro de 1698, em Voltagio, na província de Gênova, Itália. Aos dez anos, foi trabalhar para uma família muito rica em Gênova como pajem, para poder estudar e manter-se. Três anos depois, transferiu-se, definitivamente, para Roma, morando na casa de um primo que já era sacerdote e estudando no Colégio Romano dos jesuítas. Lá se doutorou em filosofia, convivendo com os melhores e mais preparados de sua geração de clérigos. Depois, os cursos de teologia ele concluiu com os dominicanos de Minerva. A todo esse esforço intelectual João Batista acrescentava uma excessiva carga de atividade evangelizadora, mesmo antes de ser ordenado sacerdote, junto aos jovens e às pessoas abandonadas e pobres. Com isso, teve um esgotamento físico e psicológico tão intenso que desencadearam os ataques epiléticos e uma grave doença nos olhos. Nunca mais se recuperou e teve de conviver com essa situação o resto da vida. Contudo ele nunca deixou de praticar a penitência, concentrada na pouca alimentação, minando ainda mais seu frágil organismo. Recebeu a unção sacerdotal em 1721. Nessa ocasião, devido à experiência adquirida na direção dos grupos de estudantes, decidiu fundar a Pia União de Sacerdotes Seculares, que dirigiu durante alguns anos. Por lá, até o final de 1935, passaram ilustres personalidades do clero romano, alguns mais tarde a Igreja canonizou e outros foram eleitos para dirigi-la. Entretanto João Batista queria uma obra mais completa, por isso fundou e também dirigiu a Casa de Santa Gala, para rapazes carentes, e a Casa de São Luiz Gonzaga, para moças carentes. Aliás, esse era seu santo preferido e exemplo que seguia no seu apostolado. O seu rebanho eram os mais pobres, doentes, encarcerados e pecadores. Tinha o dom do conselho, era atencioso e paciente com todos os fiéis, que formavam filas para se confessarem com ele. O tom de consolação, exortação e orientação com que tratava seus penitentes atraía cristãos de toda a cidade e de outras vizinhanças. João Batista era incansável, dirigia tudo com doçura e firmeza, e onde houvesse necessidade de algum socorro ali estava ele levando seu fervor e força espiritual. Quando seu primo cônego morreu, ele foi eleito para sucedê-lo em Santa Maria, em Cosmedin, Roma. Mas acabou sendo dispensado da obrigação do coro para poder dedicar-se com maior autonomia aos seus compromissos apostólicos. Aos sessenta e seis anos de idade, a doença finalmente o venceu e ele morreu no dia 23 de maio de 1764, tão pobre que seu enterro foi custeado pela caridade dos devotos. João Batista de Rossi foi canonizado pelo papa Leão XIII em 1881, que marcou sua celebração para o dia de sua morte.
Santa Maria.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Evangelho de hoje - João 16,20-23a

Ave Maria,
  • Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 20“Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. 21A mulher, quando deve dar à luz, fica angustiada porque chegou a sua hora; mas, depois que a criança nasceu, ela já não se lembra dos sofrimentos, por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo. 22Também vós agora sentis tristeza, mas eu hei de ver-vos novamente e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria. 23aNaquele dia, não me perguntareis mais nada”.
Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,

  • No Evangelho de hoje Jesus percebe que a tristeza entre os apostolos por causa da sua partida ainda é muito grande, e consola-os dizendo que muito em breve essa tristeza se transformará em alegria. Nossa Senhora já nos deu essa alegria. Antes do seu sim, ainda tinhamos duvidas se nossa alegria seria ou não eterna. Depois do seu sim , essa duvida acabou, e nossa alegria já é eterna, pois, temos a certeza da presença do Filho de Deus em nossa vida, Ele que veio até nós através dela. Quem de vocês ainde tem duvidas da presença de Jesus Cristo no meio de nós, da alegria eterna no meio de nós?
Santa Maria.

Virtude de hoje - Fé Viva

Ave Maria,
  • Praticar esta virtude de Maria Santíssima é como uma criança que está lá no alto de uma árvore, e sua mãe está lá em baixo dizendo: pule meu filho, pule que eu te seguro. E o que a criança faz? Ela pula sem medo de cair, pois, acredita em sua mãe. A criança crê incondicionalmente que ela não a deixará cair. Façamos como esta criança e vamos nos jogar nos braços da Mãe de Deus. Vivamos esta Fé de Nossa Senhora, uma Fé sem limites.

Santa Maria.

Santa Rita de Cássia

Ave Maria,
  • Rita nasceu no ano de 1381, na província de Umbria, Itália, exatamente na cidade de Cássia. Rita, ainda na infância, manifestou sua vocação religiosa. Diferenciando-se das outras crianças, ao invés de brincar e aprontar as peraltices da idade, preferia ficar isolada em seu quarto, rezando. Para atender aos desejos de seus pais já idosos, Rita casou-se com um homem de nome Paulo Ferdinando, que, a princípio, parecia ser bom e responsável. Mas, com o passar do tempo, mostrou um caráter rude, tornando-se violento e agressivo. A tudo ela suportava com paciência e oração. Tinha certeza de que a penitência e a abnegação conseguiriam convertê-lo aos preceitos de amor a Cristo. Um dia, Paulo, finalmente, se converteu sinceramente, tornando-se bom marido e pai. Entretanto suas atitudes passadas deixaram um rastro de inimizades, que culminaram com seu assassinato, trazendo grande dor e sofrimento ao coração de Rita. Dedicou-se, então, aos dois filhos ainda pequenos, que na adolescência descobriram a verdadeira causa da morte do pai e resolveram vingá-lo, quando adultos. Rita tentou, em vão, impedir essa vingança. Desse modo, pediu a interferência de Deus para tirar tal idéia da cabeça dos filhos e que, se isso não fosse possível, os levasse para junto dele. Assim foi. Em menos de um ano, os dois filhos de Rita morreram, sem concretizar a vingança. Rita ficou sozinha no mundo e decidiu dar um novo rumo à sua vida. Determinada, resolveu seguir a vocação revelada ainda na infância: tornar-se monja agostiniana. As duas primeiras investidas para ingressar na Ordem foram mal-sucedidas. Segundo a tradição, ela pediu de forma tão fervorosa a intervenção da graça divina que os seus santos de devoção, Agostinho, João Batista e Nicolau, apareceram e a conduziram para dentro dos portões do convento das monjas agostinianas. A partir desse milagre ela foi aceita. Ela se entregou, completamente, a uma vida de orações e penitências, com humildade e obediência total às regras agostinianas. Sua fé era tão intensa que na sua testa apareceu um espinho da coroa de Cristo, estigma que a acompanhou durante quatorze anos, mantido até o fim da vida em silencioso sofrimento dedicado à salvação da humanidade. Rita morreu em 1457, aos setenta e seis anos, em Cássia. Sua fama de santidade atravessou os muros do convento e muitos milagres foram atribuídos à sua intercessão. Sua canonização foi assinada pelo papa Leão XIII em 1900. A vida de santa Rita de Cássia foi uma das mais sofridas na história da Igreja católica, por esse motivo os fiéis a consideram a "santa das causas impossíveis". O seu culto é celebrado em todo o mundo cristão, sendo festejada no dia 22 de maio, tanto na Igreja do Ocidente como na do Oriente.
Santa Maria.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

A vossa proteção está acima do pensamento

Ave Maria,

  • Quem, senão o vosso Filho se interessa pelo gênero humano, a não ser vós? Quem nos defende sem cessar, de todas as nossas tribulações? Quem nos livra, rapidamente, das tentações que nos assaltam, que se precipitam sobre nós? Quem, com tanta tristeza, se dá ao trabalho de rogar, de suplicar o perdão, em favor dos pecadores? Quem os defende para perdoá-los nos casos de desespero?
  • Em virtude do privilégio e do poder que vossa maternidade obteve, junto a vosso Filho, mesmo que estejamos condenados pelos nossos crimes e que não mais tenhamos coragem de olhar para o Céu, vós nos salvai dos suplícios eternos, com vossas súplicas e vossa intercessão. Aquele que se sente atormentado, igualmente, se refugia em vós. O injustiçado a vós recorre. Aquele que se sente derrubado por tantos males, invoca a vossa assistência. Tudo o que vem de vós é admirável, é maravilhoso, ó Mãe de Deus, e tudo o que vem de vós, é maior do que a natureza e ultrapassa nossa razão e nosso poder. A vossa proteção também está acima do pensamento.
São Germano Patriarca de Constantinopla

Santa Maria.

Maria faz com que os Apóstolos entrem em contemplação

Ave Maria,

  • Maria guardou em seu coração, tudo o que aconteceu no dia da Ascensão. Instruída pelo exemplo de seu Filho, Ela compreendeu a vontade do Pai em relação a Ela, expondo-se, dócil e plenamente aos divinos desígnios, com o seu FIAT - "Seja feita a sua vontade"; o FIAT da Anunciação e o FIAT da Cruz conduziram Maria ao FIAT da Ascensão. Jesus não mais estava presente diante de seus olhos da carne e era preciso que Ela aceitasse viver este mistério da separação; um desprendimento, um desapego total, mais puro e perfeito do que todos os que Ela havia vivido, até então. Maria jamais hesitou; não hesitou em nenhum momento.
    Ei-la, mais uma vez comprometida, a partir da morte do Filho, na tarefa de unir os Apóstolos. Aqueles desconcertantes acontecimentos poderiam tê-los dispersado. Contudo, Maria vivia uma vida contemplativa e a vivia, além das aparências.
    Ela é aquela que crê, que espera e que ama. Ela é aquela que reúne. Ela, somente, poderia dizer aos Apóstolos como deveriam viver a presença viva de Jesus, por meio do aparente afastamento que a Ascensão fazia crer. Ela, somente, poderia levá-los à contemplação e ensiná-los a colocar em prática tudo aquilo que eles viram e ouviram.
    No silêncio, no recolhimento, Maria entrou em contemplação, fazendo com que os Apóstolos a acompanhassem. Ela mergulhou na contemplação do mistério de Jesus, Filho de Deus e Filho do Homem. E, até o final dos tempos, Maria fará com que a sua Igreja penetre sempre mais, neste mistério. Vamos rezar para que Maria nos introduza, igualmente, na contemplação do mistério do amor, eternamente vivo.

Santa Maria.

Papa convida jovens a serem missionários do mundo digital

Ave Maria,


Por ocasião da Jornada Mundial das Comunicações Sociais na CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 20 de maio de 2009 (ZENIT.org).- Bento XVI pediu aos jovens que sejam missionários do mundo digital, na véspera da inauguração de uma nova iniciativa da Santa Sé que aproxima o Santo Padre da juventude, www.Pope2you.net.

A exortação do Santo Padre ressoou na Praça de São Pedro no final da audiência geral da quarta-feira, por ocasião da próxima Jornada Mundial das Comunicações Sociais, que a Igreja celebrará no próximo domingo, 24 de maio.

O Papa quis que este ano esta Jornada esteja dedicada ao tema “Novas tecnologias, novas relações. Promover uma cultura de respeito, de diálogo, de amizade ” para convidar “todos os que utilizam as novas tecnologias da comunicação, em especial os jovens – como ele mesmo disse –, a utilizá-las de uma maneira positiva e a compreender o grande potencial desses meios para construir laços de amizade e solidariedade, que podem contribuir para um mundo melhor.
“As novas tecnologias produziram mudanças fundamentais na maneira de difundir as notícias e a informação, de comunicar-se e relacionar-se – constatou. Desejo alentar todos os que acessam a rede a procurar manter e promover uma cultura de respeito, diálogo e amizade autêntica, para que floresçam valores como a verdade, a harmonia e a compreensão.”
No final, o Papa fez um convite particular aos jovens: “Testemunhai a fé através do mundo digital! Utilizai essas novas tecnologias para dar a conhecer o Evangelho, de modo que a Boa Nova do amor infinito de Deus por todos ressoe de maneiras diferentes em nosso mundo cada vez mais tecnológico!”.
Ao convite de Bento XVI se seguirá, nesta quinta-feira, a iniciativa do Conselho Pontifício para as Comunicações sociais, www.Pope2you.net, uma janela aberta para as novas tecnologias e redes sociais que permitirá aos jovens acompanhar mais de perto a atividade de Bento XVI, em particular através do YouTube, Iphone e Facebook.

Retirado do Biblia Catolica News

Santa Maria.

Arcebispo italiano suspende comunhão na mão para evitar abusos contra Eucaristia


Ave Maria,


O Arcebispo de Bolonha, Cardeal Carlo Caffarra, decidiu proibir a comunhão na mão em três Iglesias de sua jurisdição e pediu aos sacerdotes muita cautela para evitar que se sigam cometendo abusos contra a Eucaristia.
Conforme informou a imprensa local, o Escritório de Pastoral das Comunicações Sociais da Arquidiocese de Bolonha publicou um comunicado oficial com as novas disposições do Cardeal.
O texto recorda que há vinte anos, em 1989, “entrava em vigor a resolução da Conferência Episcopal Italiana, que autorizava, com a aprovação da Santa Sede, a distribuição da Sagrada Comunhão na mão”.
Entretanto, precisa que nos últimos tempos se receberam notificações de graves abusos sobre esta decisão pelo que o Cardeal Caffarra decidiu que na Catedral de São Pedro, a Basílica de São Petrônio e o Santuário da Virgem de São Lucas, “a comunhão se distribua aos fiéis unicamente sobre a língua”.
Segundo uma carta do pró-vigário geral de Bolonha, Dom Gabriele Cavina, originaram-se “graves abusos”, porque “existem pessoas que levam as Sagradas Espécies para tê-las como ’souvenires’”, “quem as vende”, ou pior “quem as leva para profaná-las em ritos satânicos”.
O sacerdote explicou que, “por desgraça, se repetiram casos de profanação da Eucaristia aproveitando a possibilidade de receber o Pão consagrado na palma da mão, sobre tudo, mas não exclusivamente, nas grandes celebrações ou nas grandes Iglesias que são lugares de passagem de numerosos fiéis. Por este motivo é bom para controlar o momento da Santa Comunhão a partir do cumprimento das normas comuns por todos bem conhecidas”.
O Cardeal Caffarra pediu que durante as Missas, “os servidores ajudem ao Ministro, na medida do possível, vigiando para que cada fiel, depois de ter recebido o Pão consagrado o consuma imediatamente ante o Ministro e por nenhum motivo seja levado dali, ou colocado no bolso ou em sacos ou em qualquer outro lugar, ou caia no chão e seja pisado”.


Retirado do Bíblia Católica News


Santa Maria.

Evangelho de hoje - João 16,16-20

Ave Maria,

  • Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 16“Pouco tempo ainda, e já não me vereis. E outra vez pouco tempo, e me vereis de novo”. 17Alguns dos seus discípulos disseram então entre si: “O que significa o que ele nos está dizendo: ‘Pouco tempo, e não me vereis, e outra vez pouco tempo, e me vereis de novo’, e: ‘Eu vou para junto do Pai?’”.18Diziam, pois: “O que significa este pouco tempo? Não entendemos o que ele quer dizer”. 19Jesus compreendeu que eles queriam interrogá-lo; então disse-lhes: ‘Estais discutindo entre vós porque eu disse: ‘Pouco tempo e já não me vereis, e outra vez pouco tempo e me vereis?’20Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria”.
Santa Maria.

Partilhando o Evangelho com a Virgem Maria

Ave Maria,

  • A partida de Jesus se aproxima cada vez mais, com isso, os discípulos vão ficando ainda mais tristes, entretanto, essa tristeza se transformará em alegria, pois, Jesus está indo para que o Defensor venha e com a chegada Dele a alegria de todos será plena. Os apóstolos continuavam sem entender direito as palavras de Cristo, porém, ali bem pertinho deles tinha uma pessoa que já sabia tudo o que iria acontecer. Essa pessoa era a Mãe de Jesus. Seguindo a tendencia de nos tranquilizar em relação a volta de seu Filho, podemos imaginar que a Virgem Maria falou mais uma vez aos apóstolos. E acalmando-os deve ter dito: "meus queridos filhos, não vos inquieteis, façam apenas o que ele lhes pede, que é a partilha do amor entre vós, pois, é agindo assim que o nosso Mestre estará sempre no meio de nós."
Santa Maria.

Virtude de hoje - Profunda Humildade

Ave Maria,

  • Viver esta virtude será maravilhoso não só para nós como também para o outro, pois, os humilhados seram exaltados e quem se humilha é porque sabe amar o próximo independente do que ele é, e tenha ou não feito algo a você. Juntos pratiquemos esta virtude.
Santa Maria.

Santo Eugênio de Mazemod

Ave Maria,


  • Carlos José Eugênio de Mazemod, esse era seu nome de batismo. Ele nasceu na bela cidade Aix-en-Provance, sul da França, em dia 1o de agosto de 1782. Seu pai era um nobre e presidia a Corte dos Condes da Provença. Sua mãe pertencia a uma família burguesa muito rica. Teve duas irmãs: Antonieta e Elisabete, que morreu aos cinco anos de idade. Sua infância foi tranqüila até 1790, quando a família teve de fugir da Revolução Francesa, deixando todos os bens e indo para a Itália, onde permaneceram durante onze anos, vivendo de cidade em cidade. Nesse período, seus pais também se separam. A mãe deixou Eugênio com o pai na Itália e foi para a França, tentar reaver os bens confiscados. Tudo isso influenciou a personalidade do menino, de maneira tanto positiva como negativa, cujo reflexo foi uma séria crise de identidade na adolescência. Embora Eugênio, antes do exílio, tivesse dado mostras de sua vocação religiosa, ela foi sufocada por esses problemas e pela lacuna existente na sua formação intelectual, devido à falta de uma moradia fixa. Mas seu caráter forte permaneceu por toda a vida, sendo sua marca pessoal. Foi por meio do padre Bartolo Zinelli, durante o período que morou em Veneza, entre 1794 e 1797, que Eugênio teve contato concreto com a vida de fé. E ao retornar para a França, em 1802, então com vinte anos de idade, amadureceu a idéia de ingressar na vida religiosa, seguindo sua vocação primeira. Em 1808, entrou no Seminário de São Sulpício, em Paris, recebendo a ordenação em Amiens três anos depois. Retornou para sua cidade natal, dedicando seu apostolado à pregação. Levou a Palavra de Cristo aos camponeses pobres, aos prisioneiros e aos doentes abandonados, a todos dando os sacramentos como único meio de recompor os valores cristãos, num momento novo para o país tão desgastado e sem rumo. Outros padres se juntaram a ele nessa missão, por isso decidiu, em 1816, fundar a Sociedade dos Missionários da Provença, que depois mudou o nome para Oblatos de Maria Imaculada, recebendo todas as aprovações da Igreja. Eugênio foi, então, nomeado vigário-geral da diocese de Marselha, da qual, depois, foi nomeado bispo, cargo que exerceu durante trinta e sete anos. Foram muitos os problemas com as autoridades que governaram Paris, com a elite social e até com alguns membros eclesiásticos que não concordavam com as regras de vida em comum estabelecidas por ele. Mas o povo pobre o queria, amava e respeitava. Assim, continuou governando a diocese e os oblatos, que se desenvolveram e foram pregar a Palavra de Cristo fora dos domínios da Europa, nos Estados Unidos, Canadá e México, depois também na África e na Ásia, levando o carisma missionário da congregação. Eugênio de Mazemod morreu no dia 21 de maio de 1861, na sua querida Marselha. Muitas foram as graças atribuídas à sua intercessão. O papa João Paulo II declarou-o santo em 1995. A solenidade contou com a presença de representantes dos sessenta e oito paises onde os oblatos já estavam fixados.


Santa Maria.